Notícias

Institucional

Agora só falta decorar

Atualizado em 16/02/2019 às 20:02
Agora só falta decorar

Depois de conquistar a casa própria, vem um novo desafio: a decoração. Começar do zero e pensar em cada detalhe de seu novo lar pode até dar trabalho, mas não deixa de ser uma experiência prazerosa; afinal, é o momento em que você vai colocar a mão na massa para exercitar toda a sua criatividade. Da mobília aos quadros na parede, tudo requer planejamento e imaginação para que o ambiente possa ficar a cara da sua família. 

Para te ajudar a se organizar e deixar essa empreitada ainda mais divertida, conversamos com Vanessa Caroline Lopes, decoradora da HM. Ela tem dicas imperdíveis para quem quer decorar o apartamento de um jeito econômico e, ainda assim, com muito estilo. Vanessa é arquiteta e design de interiores e, há quatro anos, é responsável pelos nossos decorados. Sabe aquelas fotos de interiores lindas que costumamos postar em nosso Instagram ? Então, a Vanessa é uma das responsáveis para que as casas e apartamentos fiquem sofisticados e aconchegantes, em linha com as últimas tendências. Confira as dicas:

 

HM Engenharia - Vanessa, o que se deve fazer antes de começar a pensar na decoração?
Vanessa Caroline Lopes - Antes de a pessoa partir para qualquer princípio de decoração, ela deve se fazer algumas perguntas. Deve pensar, por exemplo, em como funcionará o dia-a-dia da casa; na idade das pessoas que compõem sua família; no estilo de cada um e, claro, nas necessidades que a casa terá de atender. Se você define esse tipo de coisa antes, fica mais fácil fazer o resto porque há um entendimento das necessidades e dos gostos da família. Quando se começa um projeto sem definição, chega um ponto em que você vai embananando tudo e não consegue mais seguir um padrão. As coisas perdem o contexto, não combinam, ficam bagunçadas… Por isso a necessidade de se estabelecer um norte desde o começo.

HM - Então, a decoração também está ligada à organização?
V.C.L. - Sim, claro! Tem gente que gosta de armário com vidro, por exemplo. Eu, particularmente, não conseguiria viver em paz se tivesse um armário com porta de vidro. Não aguentaria olhar para o meu armário e ver a bagunça dentro. Me daria desespero e pânico (risadas). Mas isso é de cada um porque, às vezes, a pessoa é tão organizada que consegue manter uma divisão por estilo de peça, tamanho e até gradação de cor. Ela consegue cultivar uma organização impecável e gosta de ver isso. Outras pessoas, que já não mantêm o mesmo nível de ordem, preferem ter a opção de fechar a porta e não ver a bagunça (risadas).

HM - Você é arquiteta e design de interiores. Tem experiência no assunto e sabe decorar profissionalmente. Mas e para quem nunca fez isso antes: que dica você dá?
V.C.L. - Olha, o problema da maioria das pessoas que querem cuidar da decoração por conta própria é o seguinte: elas chegam em uma loja que tem um milhão de coisas com estilos completamente diferentes e acabam gostando de tudo. Ficam perdidas! A gente tem muitas opções disponíveis no mercado. Por isso, antes de começar a comprar as coisas, é interessante se fazer aquelas perguntas que eu falei anteriormente. Além disso, convém procurar por referências em aplicativos como o Pinterest e ver qual estilo agrada mais: se é algo mais retrô, contemporâneo, minimalista, clássico e por aí vai… Para quem não tem entendimento da área de design de interiores, pegar um estilo e trabalhar em cima de suas referências é muito mais fácil e impede de transformar a casa em algo sem nexo.

HM - Qual o segredo para você não gastar tanto com a decoração e, mesmo assim, criar um ambiente bacana?
V.C.L. - O que eu sempre falo é: evite móveis muito coloridos. Por quê? Porque cor se enjoa. Cor é tendência. Conforme vai passando o tempo, você vai querer mudar. E o móvel é muito mais caro do que, por exemplo, uma almofada. Então, eu sempre falo para trabalhar as cores mais fortes nos objetos de decoração, nos apetrechos: roupa de cama, toalhas, almofadas, souvenirs. Essas coisas são mais baratas e mais fáceis de substituir. Mexendo nesses ítens, você já consegue fazer uma decoração diferenciada. Com a base - ou seja, os móveis pesados -, convém manter cores neutras e mantê-los em casa por mais tempo.

HM - Além dos móveis muito coloridos, o que mais deve ser evitado?
V.C.L. - Acho que excessos. Coisas muito coloridas, muito grandes e muitos objetos podem deixar o ambiente poluído. Principalmente em casas e apartamentos menores, o excesso deve ser evitado.

HM - Como você decora nossos apartamentos? Requer muita mão de obra de pedreiros e outros profissionais?
V.C.L. - Normalmente, com os decorados da HM a gente não muda nada do que é entregue pela própria construtora. Nem o revestimento. Isso porque queremos mostrar ao cliente que ele consegue fazer uma decoração legal e bonita com o espaço que recebe. Então, nós mantemos o piso e os revestimentos originais. Dessa maneira, o cliente consegue ver que é possível decorar de um jeito bacana sem fazer muita interferência e gastar tanto dinheiro.
A mão de obra vai para a pintura de paredes e para algumas outras aplicações e acabamentos.

HM - E quanto às paredes? Que misturas de cores e que tons você recomenda?
V.C.L. - Bom, isso depende. Se você quer dar uma noção de espaço mais amplo para a casa, é sempre bom trabalhar com cores mais claras. Aliás, adotar paredes espelhadas também faz o espaço parecer bem maior. Geralmente, os tons mais fortes e escuros diminuem o ambiente. Mas nada impede a pessoa de pegar alguma parede da casa e fazer algo diferente, explorar opções. De repente, aplicar um tom mais escuro ou até mesmo colocar um papel de parede. O importante é apenas manter a harmonia. Quanto à mistura de cores: eu sempre procuro seguir a mesma linha da Pantone e manter a variação de tons que eles indicam para cada cor.

HM - Todo ano, a Pantone define uma cor tendência. Agora em 2019, a cor é a Living Coral. Essa definição realmente importa na hora de trabalhar a decoração?
V.C.L. - Importa, sim. Porque a maioria das lojas, como Tok Stok e a Etna, por exemplo, trabalham totalmente em cima das tendências do ano. Geralmente, sempre trazem artigos com a cor tendência. Por isso influencia. Este ano, por exemplo, quando as pessoas forem comprar as coisas delas terão mais opções com a Living Coral. Mas é sempre bom lembrar: para trabalhar as cores, aposte no apetrechos e não na mobília base.

Pantone 2019: Living Coreal

HM - O que é possível de se fazer artesanalmente em casa e que fica bacana?
V.C.L - Hoje as pessoas estão usando bastante os pallets de madeira. Com eles dá para fazer painéis, racks, sofás e outras coisas que, em princípio, você compraria em uma loja. Há os caixotes - tipo aqueles que encontramos nas feiras de rua - que o pessoal usa bastante como prateleira e estante de livros. Outra coisa legal de se trabalhar é o pneu: basta revesti-lo com alguma corda ou tecido para transformá-lo num puff.
Enfim, pallets, caixotes, pneus… São coisas que estão despontando e que são fáceis de trabalhar. Isso porque já possuem uma estrutura própria. Não é necessário ter um conhecimento técnico profundo para fazer. O pallet, por exemplo, é um jogo de encaixe. Para montar um rack ou um painel com ele, basta encaixar as peças. Com um vídeo tutorial no YouTube, você consegue entender o mecanismo desses objetos e criar algo bem bacana.

 

Cama feita de pallet


HM - Nos decorados da HM, às vezes você costuma usar dossel em volta das camas. Principalmente nos quartos infantis. Dossel é algo bem antigo. Está voltando a ficar na moda?
V.C.L. - Está bastante em alta agora. Se você contratar uma boa costureira que faça cortinas, ela consegue entregar algo bem descolado. E é uma coisa simples que dá um super tchan no quarto! Uma delicadeza. Só que, como é uma cortina, o ideal é que você tire para lavar de quando em quando.

HM  - Por fim, você tem notado mais alguma coisa que as pessoas estão gostando mais? Que está em alta?
V.C.L. - Algo que estão usando bastante e que eu acho muito interessante é a vegetação. Nem que seja artificial, o verde dá bastante vida para o ambiente. Isso em qualquer lugar: sala, banheiro, quarto…  Além de trazer uma sofisticação, traz vida e alegria. Às vezes, você pode ter um cômodo super sóbrio em casa, mas, ao aplicar o verde (uma planta que for), nota-se que o ambiente ganha vida. Eu mesma tenho trabalhado bastante com vegetação. Uma coisa legal de se fazer é uma hortinha vertical. Algumas vezes as pessoas não sabem o que fazer na sacada. Acaba virando um espaço inutilizado. Uma hortinha vertical na parede da sacada pode ser uma solução super legal. Além de ser algo que fica bonito, acaba virando uma atividade: algo para você cultivar e cuidar.